segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010


onde o fim nos leva, para a saudade eterna e abençoada dos corações partidos de saudade, das notas breves de letras pequenas, cifras musicais que nos revelam o que não queremos revelar.
de longe eu te vejo, meu caro amigo, meu grande amigo. eu te vejo seguindo meus passos, guiando no escuro a saudade que aperta a alma, e dela vai esgotando a vontade de me ter por perto.
onde sempre estive, você nunca esteve. onde eu sempre quis existir, você nunca me quis ali. onde eu te amei...

você sempre soube onde me amar.

e por aí, vaga no fim algo que tende a se opor contra tudo isso, e só nos resta amor; Saber onde está, para onde ir, e como ir. Irei sem você, sempre estive sem você, apesar de te querer tanto aqui perto de mim; And everything will be fine

Um comentário:

Juliana Canavezes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.