sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

o carvanal tocou a musica do silencio, a saudade da despedida e a esperança de ver novamente os olhos da presença.
aqui chove, a rua está em silêncio, nada além de mim, o barulho do teclado parece incomodar. a chuva de Fortaleza parece ser fina, as vezes é calculista. - quanto mais pensamos que ela passou, mais ela está por vir.
passei o dia deitado como um gordo fudido, comendo e vendo televisão.(nada contra gordo, mas sim contra os gordos fudidos)
depois fiquei deitado no chão, nada como um chão gelado, doendo na costela e arrepiando até os pêlos dos pés. um suco, um gelo, um limão.

um sbt, uma globo, uma record no horario da igreja universal, não. Hoje eu notei coisas que eu nunca teria notado, as cores dos vasos, as cores das plantas e das formigas destemidas enfrentando sérios problemas com alguns gafanhotos.

acho que só. meu dia foi pouco.tchau.

Um comentário:

Juliana Canavezes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.