segunda-feira, 23 de março de 2009

Para a alma


Corto teus sonhos com os dentes, esses pensamentos de tremores e orgasmos distintos. Eu era triste até ontem; tudo muda, do outono ao verão, do inferno ao céu, da cópia da carne para o fruto brilhoso de desejo. Onde olho nascem sonhos que bóiam como barcos, no vai e vem do mar escuro. Dos pensamentos, joguei ao fogo minhas tristezas e memórias abastadas da vida.Sou aquele que tange as longas horas que insistem em me perseguir, sou quimera ao lançar meus olhos para um espelho, sou um monstro, sou um humano ; sou um nada.

Eu reparto minhas dores com os cantos da casa, no canto sempre há um acolhimento de ambas as paredes, me sinto abraçado, me sinto protegido, rodeado de concreto, rodeado de uma não-vida.

Às vezes, permitir a não-vida é como ter a certeza de não sofrer novamente. Colocar uma vida em objetos é mais que uma viagem, é mais que uma loucura pós drogas alucinógenas, é mais que uma covardia ou incapacidade.. é a pura fuga de tormentos, a pura fuga de um sofrimento.
Para a alma, o remédio controlado da felicidade não basta orientação média-provisória, basta um segundo de percepção, um segundo sozinho, um segundo de relfexão, basta uma dose de vodka, uma dose de dor, uma dose de saudade para se criar algo definitivo. Entre os copos, entre as doses, tua alma sobrevive em cada golpe dado, a cada gole seco encardido de sofrimento.
.:.

Nem todo sofrimento é concebido por amores, vaidades e loucuras.. nem todo amor é comcebido de felicidade e prazeres, a lógica é saber adequar sentimentos e sensações, vi, olhei, temi e amei. Fato, sozinho a gente vive mais, porém vivemos angustiados e nosso conforto são os colegas, companheiros solitários unindo em um só universo, um universo paralelo com o meu. Sofrer é necessário, amar também é, mas se fosse pra escolher, preferia sofrer e aprender com o tempo, depois amar, já sabendo viver. Dizem por aí que infelicidade causa revolta, que tristeza mata e a loucura endoida, mas será que amar nos deixa mais amáveis? O ciumes é um amor? é amável? Matar por amor é amável? Questionar nem sempre é bom, mas há de ser ter respostas para perguntas simples e obvias.
A grande saudade do momento é o prazer da bebedeira e a loucura do momento, é escrever sã.

Um comentário:

Juliana Canavezes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.